14.02.2017 - 20:04

Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte


Energisa é acusada de fazer “gato” em sua rede e está sob a mira de deputados e vereadores na Paraíba

Dos recursos da multa, R$ 150 mil foi destinado para a Fundação Escola Superior do Ministério Público; R$ 50 mil para Instituto São José (Hospital Padre Zé) e os outros 600 mil para o Fundo Especial de Defesa do Consumidor do MPPB, divido em 3 parcelas.



A Câmara de Vereadores de João Pessoa e Assembléia Legislativa da Paraíba vão instalar duas Comissões Parlamentar de Inquérito para investigar o suposto ‘golpe do fio’ preto praticado pela Energisa, empresa que fornece energia elétrica para o Estado. O motivo teria o objetivo de cobrar multa equivalente a R$ 7 mil sob  a alegação de que ele estaria cometendo irregularidade ao instalar o famoso gato.

A denúncia partiu do deputado estadual Trócolli Júnior da vereadora Raíssa Lacerda (PSD), em 2013, e chegou a ser investigado pelo Ministério Público da Paraíba que arquivou o processo após um TAC – Termos de Ajustamento de Conduta, documento este que comprova que a Energisa reconheceu sua culpa, resolvendo compensar danos e prejuízos já causados em  troca de R$ 800.000,00 (oitocentos mil reais) pagos em suaves parcelas.

Dos recursos da multa, R$ 150 mil foi destinado para a Fundação Escola Superior do Ministério Público; R$ 50 mil para Instituto São José (Hospital Padre Zé) e os outros 600 mil para o Fundo Especial de Defesa do Consumidor do MPPB, divido em 3 parcelas.

Hoje a parlamentar disse que pretende apresentar um requerimento instalando a CPI na Casa.

Em entrevista ao programa 60 Minutos, apresentado pelo jornalista Heron Cid e Anderson Soares, na Rádio Arapuan FM, Raíssa disse que ele levou a denúncia ao Ministério Público após ser procurada por consumidores.

De acordo com Raíssa, se a empresa assinou um termo de culpa, o consumidor lesado deve procurar a justiça para ser ressarcido por causa dos constrangimentos que passaram.

“Acho que a empresa não pode ficar impune. Ninguém paga 800 mil sem assumir erro. Todas as nossas denúncias tinham fundamento”, afirmou.

Também ao programa, o deputado Trócolli Júnior disse que vai se reunir nesta quarta-feira (14) com o Ministério Público para se inteirar do assunto

O deputado não descartou a possibilidade de pedir uma CPI sobre o tema na Assembleia Legislativa da Paraíba.


Comentários

Colunistas

ver todos os colunistas

Vídeos

ARIANO SUASSUNA POR ELE MESMO

ARIANO SUASSUNA POR ELE MESMO


OS ZÉ DA PARAÍBA

OS ZÉ DA PARAÍBA


ver todos os vídeos