19.05.2017 - 10:05

Aumentar fonte Aumentar fonte Diminuir fonte Diminuir fonte


Deputado filmado recebendo dinheiro da JBS é hostilizado em aeroporto de São Paulo por manifestantes do PT

Por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), Rocha Loures está afastado das funções parlamentares, assim como o senador Aécio Neves (PSDB-MG). A Procuradoria-Geral da República pediu a prisão dos dois.



O deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), flagrado pela Polícia Federal recebendo dinheiro do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, desembarcou no início desta manhã em São Paulo, vindo de Nova York.  O peemedebista não deu declarações à imprensa e foi bastante hostilizado por passageiros e outras pessoas que o aguardavam no aeroporto de Guarulhos. Foi chamado de “bandido” e “ladrão”.
 
Por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), Rocha Loures está afastado das funções parlamentares, assim como o senador Aécio Neves (PSDB-MG). A Procuradoria-Geral da República pediu a prisão dos dois. Fachin negou o pedido em relação a Aécio, mas o Supremo não confirmou a decisão tomada em relação ao deputado.
 
De acordo com a delação de Joesley e seu irmão Wesley Batista, o paranaense foi indicado pelo presidente Michel Temer para resolver uma disputa relativa ao preço do gás fornecido pela Petrobras à termelétrica do grupo JBS. O presidente também orientou Joesley a conversar com o colega de partido para tratar de qualquer assunto.
 
Em Nova York, Rocha Loures acompanhava um evento no qual o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), foi premiado.  Segundo o jornal O Globo, Joesley marcou um encontro com Rocha Loures em Brasília e contou sobre sua demanda no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Na ocasião, o empresário ofereceu propina de 5% e o deputado deu o aval, conforme a reportagem.
 
O deputado foi filmado pela PF recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados pelo empresário, após combinar pagamento semanal no mesmo valor pelo período de 20 anos. Segundo o relatório da Procuradoria-Geral da República, Rocha Loures telefonou para o presidente interino do Cade, Gilvandro Araújo, para interceder pelo grupo.
 
Congresso em Foco

 


Comentários

Colunistas

ver todos os colunistas

Vídeos

ARIANO SUASSUNA CONTA PORQUE NÃO USA GRAVATA...

ARIANO SUASSUNA CONTA PORQUE NÃO USA GRAVATA...


ARIANO SUASSUNA: A AULA SOBRE A POESIA DO BRASIL.

ARIANO SUASSUNA: A AULA SOBRE A POESIA DO BRASIL.


ver todos os vídeos